Educação financeira infantil: como tornar os filhos futuros investidores

Desde pequenos, os filhos ouvem os pais e familiares conversarem sobre custos e despesas. Por sua curiosidade natural e alta capacidade de descobrir aquilo que é novo, há o momento inevitável em que os questionamentos começam. A partir daí, surge a grande dúvida dos adultos: quando é adequado introduzir educação financeira infantil dentro do lar? 

Comumente, as respostas são vazias, incoerentes e, muitas vezes, nem existem. O motivo é só um: as crianças são consideradas muito jovens, para compreenderem o significado do dinheiro. 

Ledo engano!

Para desenvolverem o senso de responsabilidade, elas precisam de disciplina com o consumo, a economia e a valorização do dinheiro, já em seus primeiros anos de vida. É questão cultural que, infelizmente, poucos brasileiros praticam.

Quer fazer diferente, e criar pessoas preparadas para os percalços da vida? Neste artigo, a KDS Engenharia traz esta reflexão importante, e que impacta diretamente no futuro econômico das próximas gerações.

A fase da vida é determinante para fazer educação financeira infantil?

Você sabe, exatamente, o que é educação financeira e qual a importância de aplicá-la no dia a dia dos seus filhos?

Sob esse guarda-chuva, há um propósito maior que apenas promover consumo consciente ou capacidade de economizar. E quando falamos de crianças, é importante esclarecer, aos poucos, tudo o que está por trás do “lidar com o dinheiro”. Claro, cada coisa ao seu tempo. 

Confira as sugestões de abordagem por faixa etária.

Educação financeira infantil dos 0 aos 5

Especialistas afirmam: até os 5 anos, as crianças não fazem ideia do funcionamento do dinheiro. Entretanto, essa proximidade ocorre de forma efetiva não pela noção de quantidade, mas pela ideia de consumo. Até cerca de 4 anos, os seus filhos já sabem o que é “comprar”. 

Como educador financeiro, qual é a didática que você deve aplicar?

Aqui começam os limites. Por mais compreensível que esta dificuldade seja, os pais devem saber dizer “não”. Uma criança tão pequena tem plena capacidade de entender que ela não pode tudo. 

Educação financeira infantil dos 5 aos 12

Planeje falar de dinheiro a partir dos 5 anos. 

O maior desafio aqui não está na idade, e sim em entender a maturidade de seus filhos. Através desse panorama, você conseguirá definir linguagem e abordagem corretas. Não há um padrão, justamente porque cada indivíduo tem suas peculiaridades.

O ponto comum é que, nessa fase, as crianças começam a interpretar melhor os números e têm uma leve introdução aos cálculos. Aproveite-se disso.

Como fazer educação financeira infantil assertiva neste período?

1 – Comece por definir uma semanada 

Esse é o  valor que a criança ganhará por semana. Essa técnica é muito interessante, para ser aplicada com aquelas que são mais novinhas. 

Mas, por que não, logo de cara, dar uma mesada? 

Simples, a percepção de tempo dela é diferente do adulto. Além disso, o envolvimento com o processo fica mais adequado.

2 – Ensine a usar uma parte e a guardar a outra

Esse dinheiro é para o lanche, para o brinquedo, para uma roupa ou qualquer outra coisa que a criança queira comprar. No entanto, você deve deixar claros alguns pontos: 

  • Se ela gastar tudo, não poderá conquistar algo mais caro que seja do seu interesse;
  • Poupar o dinheiro durante um tempo X (mostre como fazer essa somatória de modo simples) é a maneira mais eficiente de conquistar bens materiais;
  • Aponte que, às vezes, é preciso abrir mão de uma coisa, para obter outra.

3 – Não confunda semanada com um bônus por concluir tarefas obrigatórias

Aquelas tarefas que você considera rotineiras para a criança, não têm de receber recompensas. Dever de casa, banho tomado, dentes escovados, arrumar o quarto, ou qualquer outra obrigação no lar, são inegociáveis. Não existe o receber ou não por elas. O relacionamento dentro de uma família é maternal e paternal, não patronal.

4- Insira a ideia de investimentos

Como você irá proceder, depende da idade dos seus filhos. Até os 12 anos, é legal fazê-lo de forma mais lúdica. Que tal sugerir que uma determinada semanada fique guardada com você, e que na próxima esse dinheiro retornará com juros (esclareça o que isso significa).

Por ter essa ideia de quantidade já enraizada, e sabendo dos benefícios que terá com esse”investimento”, é natural que a criança aceite.

5 – Participe ativamente das escolhas

Esse processo todo não funcionará, se você não educar a criança para ter um objetivo, ou vários. Sente com ela, pesquise, converse, cheguem a um critério para administrar essa semanada da forma mais lucrativa e saudável possível.

Educação financeira a partir dos 12

O início da adolescência é importante para criar uma relação com o dinheiro muito mais madura. Nessa fase, leve seus filhos até o banco e abra uma conta. 

Faça-os entender que é melhor dispor daquele dinheiro para o banco, do que pegar emprestado. Sabendo desde cedo como não se endividar, é maior a probabilidade deles tornarem-se adultos financeiramente responsáveis.

Ensine sobre os tipos de dinheiro

Cartão de crédito é visto pelas crianças como uma forma de fazer mágica. Bastou passar em uma máquina, e o objeto de desejo delas estará ao alcance das mãos. Desmistifique esse conceito. 

Oriente para a variedade do dinheiro no mercado – papel, moeda, cheque, cartão de débito, cartão de crédito – , e destaque como cada um deles funciona.

Não adianta educar de modo lúdico, é necessário dar o exemplo

Seja digno de inspiração. Crianças aprendem por repetição. 

Não adianta querer um futuro financeiro inteligente e saudável para elas, se você não tem preparo para isso. Não basta apenas saber falar de dinheiro, coloque em prática esse conhecimento em sua vida.

Reveja a forma como você pensa e age. 

Eles podem começar a empreender desde cedo

Aprender a batalhar por um objetivo desde cedo, é o melhor que pode acontecer na vida dos seus filhos. Claro que não estamos falando que eles devem ter uma jornada de trabalho na infância.  

No entanto, se eles querem aprender ou tentar praticar algo que envolva empreendedorismo, incentive!

O equilíbrio está em mostrar a importância desse impulso não se sobrepor à escola, ao lazer e às outras atividades de desenvolvimento.

Faça o que for possível, não se cobre e dê o seu melhor

Apenas a vontade de ver os seus filhos saudáveis financeiramente e levando uma vida tranquila no futuro, já é um grande passo. 

Agora, apenas para ilustrar os benefícios de acreditar na educação financeira infantil, imagine: 

Em um belo dia, seus filhos ligam para você para compartilhar suas grandes realizações: entre elas, que adquiriram o primeiro imóvel, um dos Residenciais Boutique da KDS Engenharia, alicerçados em Florianópolis/SC. 

Pronto, seu trabalho está feito. Veja florescer a semente da dedicação e da responsabilidade que você plantou. 

E se você também aprendeu com as lições de hoje, temos uma sugestão incrível: venha viver perto do mar, com a sofisticação Boutique by KDS.

Nossos imóveis estão localizados nas praias de Jurerê Internacional e Novo Campeche. Entre em contato conosco através de nossos canais de atendimento, ou agende uma visita com uma de nossas imobiliárias parceiras.

Compartilhe